fbpx

Carreira

Trabalhar com tecnologia no setor público ou privado?

Fernando Vezzali
Escrito por Fernando Vezzali
Trabalhar com tecnologia no setor público ou privado?
Junte-se a nós!

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

Com a crise que assola o país e os índices de desemprego em números alarmantes, é comum encontrarmos profissionais que não encontram vagas em suas áreas partindo para o setor público. Quais sãos as principais diferenças de se trabalhar com TI em um cargo público e em um cargo privado?

Separei neste artigo alguns dos pontos positivos e negativos de trabalhar em um órgão público na área de TI.

Cargos públicos são os melhores caminhos?

Estabilidade, benefícios e salários acima da média, estes são alguns fatores que fazem brilhar os olhos de bons profissionais que concorrem a cargos públicos. Em alguns casos, os empregos públicos na área de TI, podem realizar contratações em regime estatutário, ou seja, sem carteira assinada e sem contribuição ao FGTS, nem sempre esse caminho pode ser o melhor.

Cargos públicos em instituições que possuem o TI como área fim, ou seja, a área que contempla o principal serviço do órgão, como a Dataprev e o Serpro, por exemplo, possuem ótimos planos de carreira para analistas e técnicos. Nestes casos, a contratação é regida pela CLT, sendo assim, com carteira assinada e contribuição ao FGTS. Além do que o ambiente nestes órgãos é muito mais informal, sem contar que a gama de projetos nestas instituições é muito maior, possibilitando “migrações” para áreas de interesse do funcionário.

E a área privada?

Como já falei anteriormente, é possível encontrar um trabalho na área privada mesmo sem experiência. Mas é importante entender que, na fase atual, o Brasil pode não ser o melhor ambiente para se encontrar o emprego dos sonhos. Direitos trabalhistas sendo perdidos, e a aposentadoria ficando cada vez mais longe. Este talvez seja o cenário do trabalhador que deseja investir sua carreira de desenvolvedor em empresas privadas.

É claro que há exceções. Grandes empresas de tecnologia e startups inovadoras aumentam a cada dia a demanda por profissionais capacitados e experientes. Mas se o que deseja é estabilidade, talvez a área privada seja, neste momento, um tiro no escuro, visto que a economia e a área trabalhista ainda são uma incógnita em nosso país.

Pontos que devemos considerar

Entender as diferenças (boas e más) de se trabalhar como servidor público é fundamental quando escolhe prestar um concurso. Pensando nisso, listei pontos que considero positivos e negativos, para que você possa pesar na hora de escolher o seu próximo cargo.

É importante lembrar que esta condição (de se tornar servidor público) se tornou muito mais atrativa considerando o nível de desemprego atual. Com a economia fragilizada o país sofre para atrair investidores e gerar mais empregos.

Apesar de alguns pontos positivos que superam, e muito, o setor privado, trabalhar em um órgão ou autarquia pública pode apresentar desafios diferentes.

Pontos positivos

  • Salário maior e carga horária menor do que a média do mercado

As instituições públicas tendem a possuir salários superiores às médias praticadas no mercado privado. Isso não significa que seja regra, algumas empresas da área no setor privado valorizam seus colaboradores de forma a ofertar salários magníficos e benefícios extras. Em média os salários são mais altos para servidores públicos. Já a carga horária, não posso dizer o mesmo.

Em órgãos e autarquias públicas dificilmente a carga horária ultrapassa a estabelecida em contrato. Mas nestes casos, horas extras e bancos de horas são pagos religiosamente.  Em ambientes privados é comum ver funcionários trabalhando mais do que o normal ou levando trabalho para casa.

  • Benefícios

Alguns cargos públicos possuem benefícios interessantes. Por exemplo, alguns órgãos possuem auxílio escolar, para cada filho até os 18 anos. Outros órgãos e autarquias pagam adicional de especialização, ou seja, podem pagar de 7 a 70 por cento de adicional por especialização, mestrado ou doutorado. Já os outros benefícios, como auxílio maternidade maior, auxílio creche e planos de saúde, são os que mais comumente aparecem em contrato de trabalhos públicos.

  • Estabilidade

É indiscutível que ter estabilidade em um cargo é fundamental. Em um cargo público essa estabilidade é garantida por lei. Mas é necessário parar para pensar. Por um lado, é importante, pois, impede que um governante desligue servidores concursados por incompatibilidade ideológica. De outro lado e Infelizmente, isso gera servidores “acomodados”, que, na prática não podem ser demitidos mesmo considerando a baixa produtividade. Se servidor público, em seu órgão, invariavelmente você terá contato com colaboradores concursados que não produzem absolutamente nada. Mas, mesmo assim é preciso desenvolver um mecanismo efetivo de proteção aos servidores quando falamos da questão ideológica.

Colocamos a estabilidade em ponto positivo, e com certeza é para quem é servidor público. Mas os contrapontos deste benefício podem colocá-lo como ponto neutro, pelo menos para o cidadão, que apenas usa os serviços públicos.

  • Equipe capacitada

Os concursos que admitem servidores públicos são cada vez mais concorridos e difíceis. Levando isso em conta, o nível dos outros servidores que estarão em sua equipe tende a ser altamente qualificado. Isso com certeza não significa que todos serão extremamente capacitados, muito menos motivados e esforçados. Mas o índice de colaboradores capacitados é superior ao da iniciativa privada.

  • Possibilidade de utilizar tecnologias modernas e inovadoras

A crise atual defasou os investimentos de TI em órgãos públicos. O uso de tecnologia moderna pode variar de órgão para órgão. Sempre é possível deparar-se em iniciativas que utilizam tecnologias modernas para solucionar problemas de forma menos custosa, tanto em tempo, quanto em investimentos. É claro que Java EE ainda é o mais utilizado, mas é comum ver instituições partindo para o Angular ou React em conjunto com NodeJS, ou Python.

  • Impacto na sociedade

Já sabemos que as ações do funcionalismo público impactam diretamente nas condições de convívio da população. Afinal, é por esse motivo que o mais comum é utilizar o termo “servidor público”. Muitos dos servidores (sejam de TI ou não) se esquecem, talvez pela estabilidade, que nada mais estão fazendo do que servido a população, em um país que tem severos problemas. O profissional de TI, tem a missão de através de inteligência e tecnologia, melhorar a situação das pessoas, e consequentemente do país com suas ações.

Pontos negativos

  • Reposição de perdas inflacionárias defasada

É comum em estados, municípios e empresas públicas federais, tabelar com base anual o perfil de reposição inflacionária dos salários de seus servidores. Mas seguir a tabela, bem, essa já é outra questão. O que mais acontece são órgãos públicos passarem anos sem a correta reposição inflacionária e consequentemente gerarem greves e manifestos para forçar o governo atual a negociar. O ideal seria que todos os anos as empresas públicas seguissem a tabela e dessa forma o reajuste seria somente o referente a inflação do período e não os altos números que geram mal-estar nas mídias quando solicitados pelas classes de trabalhadores.

  • Muito trabalho, poucos servidores

Em muitos órgãos a quantidade de servidores de tecnologia é compatível com o fluxo de trabalho e tamanho da instituição. Mas isso não acontece na maioria das repartições públicas. A realidade geral desta área é uma alta demanda para equipes enxutas. O resultado é encontrar servidores desempenhando múltiplos papéis.

  • Nem sempre se escolhe com o que irá trabalhar

Isso acontece em muitos cargos na área em entidades públicas. Algumas, as melhores, especificam cargos em desenvolvimento, infraestrutura, governança e outros. Isso significa que se o órgão que decidir trabalhar atuar desta forma, você poderá ser posicionado na área específica de sua atuação.

Em outros casos, os cargos são simplesmente Analistas de TI e Técnico de TI. Isso faz com que os servidores destes cargos possam atuar em qualquer área de TI, dependendo da demanda. É claro que o background será analisado no concurso e nas necessidades do órgão, mas geralmente você poderá ser posicionado em uma área que não domina ou mesmo que não goste.

Caso tenha alguma dúvida, procure o profissional da área, no órgão ao qual irá concorrer a vaga e questione sobre as necessidades do cargo. Normalmente eles respondem sem problemas.

  • Burocracia

A burocracia acaba sendo no Brasil, um arcabouço para que se possa fiscalizar e evitar qualquer desvio em uma repartição pública. Mesmo pensando desta forma, continua como um ponto negativo. Para que qualquer ação, seja ela uma compra ou alteração administrativa, é necessário que o departamento competente analise e, que seja disponibilizada verba em alguns casos ou antecedência em outros. Além é claro, da normatização de processos, uma ferramenta que olhando friamente, congela a possibilidade de melhoria contínua.

  • Decisões políticas

Algumas vezes, as decisões tomadas em departamentos públicos não são puramente técnicas. Isso acontece, pois, as decisões são na maioria das vezes tomadas de forma política, ou seja, antes da análise do departamento de TI e normalmente por pessoas que não entendem muito de TI. As consequências são que a análise de requisitos acaba sendo uma tarefa complexa e muitas vezes inviável e a gestão do projeto acaba sendo realizada de forma desorganizada.

  • Encarar sistemas antigos

Sei que um dos benefícios que citei anteriormente é o fato de haver a possibilidade de trabalhar com tecnologias modernas, e realmente é. Mas não acredite que você não irá se deparar com tecnologias mais antigas. Sejam por inviabilidade de abandonar sistemas legados, por saudosismo do responsável, ou simplesmente por desconhecimento de responsáveis políticos, é possível esbarrar com sistemas escritos em Delphi e Clipper, por exemplo.

O setor público ou privado, eis a questão.

Levantei alguns dos pontos que deve estar em sua lista de prós e contras, se você com todo esse desemprego não consegue encontrar a vaga perfeita na iniciativa privada e decidiu partir para concursos públicos.

Vagas para servidores públicos possuem ótimos benefícios em comparação com vagas na iniciativa privada, porém, nem tudo é um mar de rosas. Existem pontos negativos que devem ser considerados. 

Ponha lado a lado as vagas e se encaixe naquela que mais lhe agrada, financeira e particularmente. Lembre-se de que às vezes o prazer e a qualidade de vida são mais importantes que altos salários, mas também que é preciso pagar as contas.

O que achou? Tem mais algum ponto positivo ou negativo a adicionar? Deixe nos comentários e vamos nos falando. Até mais.

Hey,

o que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

Junte-se a nós!

Entre para a lista VIP

Agora!

Receba conteúdos exclusivos e com prioridade.