fbpx
close

Carreira

Preciso fazer faculdade para trabalhar como programador?

Fernando Vezzali
Escrito por Fernando Vezzali
Preciso fazer faculdade para trabalhar como programador?
Junte-se a nós!

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

Uma das perguntas que frequentemente permeiam os pensamentos de programadores iniciantes ou pessoas que estão começando na área é: preciso ter graduação para entrar no mercado de trabalho?

Vamos em breves linhas desmontar mitos e responder essa que senão a mais, uma das mais importantes perguntas para programadores autodidatas.

Quero ser programador, mas preciso fazer faculdade?

Responder essa pergunta pode ser fácil. E eu responderia com um enfático NÃO! Mas é claro que se formar em uma área que deseja atuar pode lhe trazer diversos benefícios, que o mundo do auto aprendizado não vai te apresentar.

É fato que a universidade vai lhe passar uma boa bagagem, mais teórica do que prática, este é outro fato. Mas a teoria é importante em pontos, para que a prática seja praticada. O conceito muitas vezes derruba barreiras na hora de solucionar problemas. E o que é um desenvolvedor, senão um resolvedor de problemas?

Para explicar melhor como funciona, na faculdade você não terá o contato esperado com as linhas de código como pensa, e quando ocorrer não estarão ligadas a problemas do mundo real. A faculdade irá focar em desenvolver o raciocínio lógico e apresentar diversas formas de enfrentar um problema singular.

Entenda o seu perfil

Antes de decidir se você deve ou não ingressar em uma faculdade para se tornar um desenvolvedor, pense em seu perfil. Quais são seus objetivos na carreira?

A alguns anos atrás, era comum dividir programadores em: programadores web, desktop, de frontend, de backend e de aplicativos. Hoje a história é diferente. Há uma infinidade de vetores que fazem a tarefa de especialização em uma área específica árdua e complexa. Além de que é preciso se atualizar incessantemente, de modo a estar sempre apto ao mercado e as suas solicitações, ora absurdas.

Estudar e trabalhar, nessa área, é quase que obrigatório. E conseguir tempo para conciliar ambas as tarefas parece, impossível. Um truque que pode lhe ajudar é focar nos seus objetivos. Ser muito bom em algo é muito melhor que ser mediano em várias coisas.

Sabendo que o mercado atual está dividido em várias áreas e especializações de desenvolvimento, é prioritário entender seu perfil. Não se engane, e engaje-se em algo que realmente lhe dá prazer em fazer.

Com formação superior ou não. A atualização é extremamente necessária. O conselho que se pode seguir é: faça cursos, certificações específicas podem ser boas opções para se atualizar e andar com o ritmo da tecnologia. 

Então um bom programador pode ser formado em diversos cursos na área da tecnologia, é possível trabalhar com diploma de Computação ou Sistema de Informação, por exemplo,  e muitos desenvolvedores atuam no mercado mesmo não tendo formação superior.

Mais do que requisitos, todo programador tem no perfil o raciocínio lógico, alta capacidade de análise, encontrar soluções práticas, além de gostar de enfrentar desafios e uma pitada de resiliência (Sim! Códigos dão erro).

Fazer faculdade tem suas vantagens!

Como pode ver, não é necessário ter uma graduação para conseguir um emprego, entretanto, o melhor caminho para ter uma carreira promissora é fazer uma faculdade.

A faculdade traz um preparo para o mercado que fora dela é mais difícil de conseguir. Além do mais, as vagas para grandes empresas e vagas no exterior são reservadas geralmente para o profissional com um bom currículo e costumam exigir a conclusão de um curso superior.

O peso do diploma, principalmente aqueles obtidos em centros de estudo renomados, trazem uma confiança na hora de apresentar um projeto ou defender uma solução a um problema proposto. Isso é, na hora de se apresentar ou apresentar seu produto (solução) você terá o que podemos chamar de uma autoconfiança maior em relação aos autodidatas, que pode até ter o mesmo conhecimento que você, mas esse conhecimento não é embasado por um certificado.

Nunca esqueça que na faculdade, além de apresentado ao conhecimento, você também será apresentado a pessoas. E são essas pessoas que serão parceiros, sócios, chefes e amigos. O mercado estará minado de pessoas que como você, estiveram em um ambiente com objetivos semelhantes e que sabem o que querem. Deste modo o networking encontrado na faculdade é muito bom no momento de conseguir um emprego, mesmo sem experiência.

Em contrapartida, como falamos anteriormente, não há um curso próprio para programação, cabe ao aluno, entender seu perfil, analisar as opções e o mercado para dar esse passo adiante e se preparar.

Diploma x Freela

Você com toda certeza já ouviu alguém dizer que fez faculdade, anos de dedicação, noites mal dormidas para não trabalhar em sua área. É outro ponto que precisamos considerar.

O peso do diploma como disse acima, muitas vezes pode te guiar para outro lugar, pessoas sonham em mudar de país, ter salários astronômicos e quando conseguem, não são felizes por completo.

Então pense que você pode ainda trabalhar em casa como freela, com diploma ou sem ele. O problema aqui é a instabilidade nos ganhos, principalmente no começo, mas não te impossibilita de trabalhar home office fazendo sua própria rotina de trabalho e horários.

É preciso ter em mente que se seu objetivo é criar seu próprio sistema e lucrar com ele, utilizando seu espirito empreendedor (se tiver) não é necessário ter um diploma associado ao seu currículo. Aliás, você nem vai usar ele.

O mercado de trabalho atual também dá uma importância maior a experiência do que ao diploma. Se você pode comprovar ao mercado, através de seus projetos, que possui a experiência e o expertise necessário para a vaga que deseja, tenha certeza que seu currículo será considerado, assim como aqueles que possuem uma graduação.

Como aprender fora da faculdade?

Hoje essa pergunta é apenas retórica. Sabemos que no YouTube encontramos cursos completos, gratuitos e dinâmicos em muitas áreas de desenvolvimento, sem que haja necessidade de ingressar em um centro de estudo ou a uma universidade para ter acesso ao conhecimento.

A internet fornece possibilidades de cursos a distância em todas as áreas imagináveis, a custos acessíveis e às vezes, inclusive com diplomas reconhecidos. Basta você se organizar, verificar os cursos que deseja realizar e se atualizar e andar no ritmo da tecnologia.

Sabemos também que nem todas as pessoas aprendem de forma proveitosa por cursos online ou através de vídeos. Isso é completamente compreensível, afinal ninguém é igual a ninguém. Para essas pessoas, existem centros de estudos que oferecem cursos abertos que podem entregar o mesmo conhecimento encontrado na internet, com a diferença de aulas presenciais e o benefício do networking, uma vez que, outras pessoas também estarão estudando com você.

Aprender fora de uma instituição ou de um curso organizado de forma pedagógica para te inserir em conhecimentos muitas vezes avançados pode parecer distante. Mas não é. O importante é lembrar que existe uma pequena lista de características desejáveis que você precisa para se tornar bem-sucedido, mesmo estudando “por conta”:

  • Tenha boa concentração ou treine-a;
  • Seja curioso e tenha iniciativa;
  • Tenha disciplina;
  • Não ignore áreas fora do seu interesse;
  • Seja persistente;
  • Saiba ouvir e pedir ajuda;
  • Entenda que há pessoas mais experientes que você, use-as.

Parecem características intangíveis, não é mesmo? Mas são importantes se seu desejo é aprender sem ter que encarar uma faculdade. Além disso, tenha em mente que alguns outros pontos também são recomendados. São eles:

Use Frameworks, mas vá com calma.

O uso de frameworks agiliza muito o processo de desenvolvimento e é amplamente utilizado na comunidade. Mas vá com calma. Domine as linguagens antes de mais nada. Qualquer software é criado a partir de uma linguagem, use os frameworks como ferramentas para alcançar objetivos, mas entenda o que está acontecendo.

Escolheu Frontend? Aprenda Backend.

Se vou trabalhar com frontend, porque devo aprender backend. Quando entrega um projeto de frontend, o mínimo que o desenvolvedor que irá solicitar seu trabalho espera é que ele possa “encaixar” o desenvolvimento, seus comportamentos e seus polyfills. Então aprenda um pouco sobre os outros mundos, a conversa no projeto vai ser muito mais fluente.

Aprenda o que não gosta.

Não gostar não significa ignorar. Às vezes você vai precisar encarar os monstros da profissão. Mesmo que seja para auxiliar em outras etapas do projeto. Por isso, enfrente os fantasmas e aprenda algumas coisinhas que você não gosta.

Afinal, você deve ou não fazer uma faculdade?

Depende de você e quais objetivos você tem traçados para sua vida. Mas deixo claro que não vai ser a faculdade que vai dizer se você é um bom programador ou não.

É claro que a faculdade vai te dar um norte maior, abrir um grande leque de opções e oportunidades muitas vezes já no estágio, mas são seus resultados que vão falar por você no final.

O mercado da tecnologia é promissor e, o retorno financeiro é atrativo além de existirem diversas vagas no mercado de trabalho. Aqui o mais importante é saber escolher qual a direção a seguir, não só pelo salário, mas também a paixão que te move.

Tenho certeza que esse artigo te ajudou de alguma maneira. Compartilhe, você pode estar ajudando outros programadores com a mesma dúvida. Não deixe de conferir nosso próximo post e, comente aqui, qual foi a sua decisão, qual caminho seguiu e se esse caminho exigiu de você um diploma ou não. Sua experiência pode inspirar outras pessoas.

Hey,

o que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

Your email address will not be published. Required fields are marked *

One Reply to “Preciso fazer faculdade para trabalhar como programador?”

Fernando Vezzali › Desenvolvedor Wordpress, o que faz e quanto ganha.

[…] Carreira […]

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

Junte-se a nós!

Entre para a lista VIP

Agora!

Receba conteúdos exclusivos e com prioridade.